RSS

Arquivo da categoria: Sobre Livros e sabores

O livro vermelho emprestado por Aberival que me convidou a demitir um Deus tirano

Brennan manning é o autor que mais tenho lido no momento. Comecei pelo “o impostor que vive em mim” e depois pelo “O evangelho maltrapilho” (emprestado pelo Aberi)

O livro veio a mim numa sacola devidamente conservado e emplastificado sem rasura alguma em suas páginas (nos meus livros, o crime é não rasurar) logo percebi o quão precioso era para ele. Comecei a lê-lo no dia seguinte e me apaixonei à primeira palavrinha…

“O evangelho maltrapilho foi escrito com um público leitor específico em mente. Este livro não é para os superespirituais. Não é para os cristãos musculosos que têm John Wayne como herói, e não Jesus. Não é para os acadêmicos que aprisionam Jesus na torre de Marfim da exegese. Não é para gente barulhenta e bonachona que manipula o cristianismo ponto de torná-lo um simples apelo ao emocionalismo. Não é para os místicos de capuz que querem mágica na sua religião. Não é para os cristãos “aleluia”, que vivem apenas no alto da montanha e nunca visitaram o vale da desolação. Não é para os destemidos que nunca derramaram lágrimas. Não é para os zelotes ardentes que se gabam com o jovem rico dos Evangelhos: “Guardo todos esses mandamentos desde a minha juventude”. Não é para os complacentes, que ostentam sobre os ombros um sacolão de honras, diplomas e boas obras, crendo que efetivamente chegaram lá. Não é para os legalistas, que preferem entregar o controle da alma a regras a viver em união com Jesus. O evangelho maltrapilho foi escrito para os discipulados, os derrotados  e os exauridos. Ele é para os sobrecarregados que vivem ainda mudando o peso da mala pesada de uma mão para a outra. É para os vacilantes e de joelhos fracos, que sabem que não se bastam de forma alguma e são orgulhosos demais para aceitara esmola da graça admirável. É para os discípulos inconsistentes e instáveis cuja azeitona vive caindo para fora da empada. É para homens e mulheres pobres, fracos e pecaminosos com falhas hereditárias e talentos limitados. É para os vasos de barro que arrastam pés de argila. É para os recurvados e contundidos que sentem que sua vida é um grave desapontamento para Deus. É para gente inteligente que sabe que é estúpida, e para discípulos honestos que admitem que são canalhas. O evangelho maltrapilho é um livro que escrevi para mim mesmo e para quem quer que tenha ficado cansado e desencorajado ao longo do caminho.”   (Brennan Manning)

Anúncios
 

Tags: , ,

O livro rosa emprestado por Valéria que me levou a um passeio dentro de mim mesmo.

Quando alguém me empresta um livro fico muito grato, pois independente de eu gostar do livro eu gosto mesmo é do tesouro dividido.   

“Quando discutir com pessoas queridas, deixe-as ganhar. Escolha ser feliz em vez de ter razão”

(Dominique Glocheux)  

 

Tags: , , ,

Ôxe, vai levar não?

Ao entrar em uma livraria sou atraído a comprar sempre um novo livro. Ultimamente, venho resistindo a isso por um simples motivo: Ainda há livros em meu acervo não lidos completamente. Com essa atitude também estou aprendendo a terminar as coisas inacabadas, a não fazer as coisas pela metade, ser mais perseverante ou até ler (leia-se saborear) um livro todo antes de outro. Quero saber digerir melhor tanta coisa que possuo…

 

Perceber, numa segunda olhada, que há tanta novidade nas coisas antigas, pois há tesouros que ainda não foram encontrados. Por que não procurá-los mais uma vez? Perceber os detalhes…

 

Dar valor àqueles projetos adormecidos e se dispor a evoluir, ou seja, desejar tornar-se uma pessoa melhor,  consertar-se, renovar-se. Receber críticas e não jogá-las no lixo por inteiro.

 

Enfim, depreciar ao máximo o sentido de cada momento para não mais resistir ao desejo de comprar um novo livro, saber viver bem cada etapa da vida.

 

  

                                                                                                                            
Jhônatas Cabral

 
8 Comentários

Publicado por em dezembro 18, 2008 em Quartos, Sobre Livros e sabores

 

Um livro que comerei com um enorme prazer!

2347957

Em estado de êxtase, numa livraria, vi a capa da edição centenária de ORTODOXIA de G.K. CHESTERTON. Comecei a ler as primeiras palavras e quando me dei conta, já fazia o pagamento no caixa ansiosamente.

 

“Essa é a emocionante aventura da ortodoxia. As pessoas adquiriram o tolo costume de falar de ortodoxia como algo pesado, enfadonho e seguro. Nunca houve nada tão perigoso ou tão estimulante como a ortodoxia. Ela foi a sensatez, e ser sensato é mais dramático que ser louco. Ela foi o equilíbrio de um homem por trás de cavalos em louca disparada, parecendo abaixar-se para este lado, depois para aquele, mas em cada atitude mantendo a graça de uma escultura e a precisão da aritmética.”

 

Chesterton

 

Tags: , ,