RSS

Quando quiserem nos silenciar, lembremos do Drummond:

14 nov

 

“Certas palavras não podem ser ditasquino_demo

em qualquer lugar e hora qualquer.

Estritamente reservadas

para companheiros de confiança,

devem ser sacralmente pronunciadas

em tom muito especial

lá onde a polícia dos adultos

não adivinha nem alcança.

 

Entretanto são palavras simples:

definem

partes do corpo, movimentos, atos

do viver que só os grandes se permitem

e a nós é defendido por sentença

dos séculos

 

E tudo proibido. Então, falamos.” (Drummond)

Anúncios
 
1 comentário

Publicado por em novembro 14, 2008 em Pensando pensamentos, Poemas, Quartos

 

Tags:

Uma resposta para “Quando quiserem nos silenciar, lembremos do Drummond:

  1. projetodesorientado

    novembro 19, 2008 at 14:35

    Clarice costumava dizer que todos nós tinhamos algo entalado em nossas gargantas…
    uma palavra secreta.

    lembrei disso.

    sempre muito bom por aqui ein!

     

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: