RSS

Revisão das notícias mais íntimas

10 out

Se me pedissem para dizer em poucas palavras a essência de tudo que estava tentando dizer, tanto como romancista quanto como pregador, seria algo assim: ouça sua vida. veja-a como o insondável mistério que ela é. Nos aborrecimentos e na dor, assim como na alegria e na felicidade. Toque, sinta, prove seu caminho para seu santo e oculto coração, porque, em última análise, todos os momentos são importantes, e a própria vida é graça.

(Frederick Buechner, extraído de Now and Then)

   

Na semana em que falei com Deus, todos os dias antes de dormir, Ele me respondeu…

É fascinante quando nos dispomos a revisar o que está abaixo da superfície e adentramos nas coisas comuns, na própria vida, nas lembranças, na casualidade dos encontros, no despertar, “nos galhos secos de uma árvore qualquer”. Enfim, naquele intervalo noturno entre o apagar das luzes e o sono, onde os pensamentos acordam e nos apresenta a pauta das pendências.

“A literatura trabalha com o comum. O incomum e o extraordinário pertencem ao jornalismo” disse James Joyce, um grande escritor e jornalista irlandês. Se assim o for, desejo produzir literatura mas não dispenso o paradoxo. Prosear com as pessoas, tomar um caldo de cana na praça, poder escrever e me autodescobrir. Acho que quando liberto meus pensamentos domesticados, nessa selva misteriosa, me encaixo no mundo natural, as coisas começam a fazer sentido.

Engraçado, sempre tento interpretar um gesto que meu pai faz ao caminhar pela areia das praias; virou certo tipo de ritual, algo meio que sagrado. Simplesmente ele fica cavando, retirando a areia com a alternância de seus pés ao passo que caminha olhando o mar com as mãos para trás, numa espécie de devoção (assim imagino), como se permitisse fazer parte da natureza, ou ela dele. Nunca o perguntei sobre a razão disso tudo, tão-somente gosto de observá-lo, construir deduções.

Revisar as nossas notícias íntimas é, de fato, um bem à saúde mesmo se encontrarmos as lágrimas no caminho, os nós nas gargantas, as justiças oprimidas. É pousar num pomar, numa variedade de sensações e ver a vida num grão de areia.  

 

Jhônatas Cabral

Anúncios
 
2 Comentários

Publicado por em outubro 10, 2008 em Pensando pensamentos, Quartos

 

Tags: , , , ,

2 Respostas para “Revisão das notícias mais íntimas

  1. adelmar lincoln

    outubro 12, 2008 at 14:35

    Faz bem navegar por aqui, sempre uma boa post, Deus te abençoe sempre, minha admiração!!! abraçãooooo.

     
  2. Jeff

    outubro 13, 2008 at 14:35

    “A literatura trabalha com o comum. O incomum e o extraordinário pertencem ao jornalismo”

    Incomum e extraordinário são adjetivos que se aplicam a mim com direito federal de diploma, então? Hahahahahhaa.

     

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: